Classificação indicativa: Livre

Rituais Virtuais


(Silas Souza de Lima, 2020, 4min)

Rituais Virtuais mostra o cotidiano fictício (ou não) de uma travesti e seu amor próprio. Numa sociedade que isola pessoas trans, viver em isolamento é lugar-comum. O artista traça um paralelo entre viver sozinho e só viver. A “arte trans” coloca a solidão como matéria-prima e companheira constante, trazendo amor real apenas no virtual. Coloca o isolamento como um enfrentamento de si mesmo e suas conseguintes. Afinal, enfrentar-se é tarefa difícil, pois exige enxergar-se com todas as suas nuances. O artista mostra, ainda, que a atenção e o amor dados a essas pessoas não existem ou estão sempre à beira de acabar.
 
[livre para todos os públicos]
 
A obra faz parte da segunda edição do Festival Arte como Respiro. Confira a programação completa

Veja também