Classificação indicativa: Livre

No show intitulado “Omoloie”, o cantor Vitor da Trindade passeia por diversos ritmos, como o coco de Alagoas, o jongo mineiro, o lundu colonial, fora os sons do candomblé e os advindos da diáspora africana moderna (rap, funk, soul e jazz).

Vitor é formado em música popular e, atualmente, estuda etnomusicologia no programa de pós-graduação da Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo (ECA USP). Participando desde a década de 1970,  do Teatro Popular Brasileiro junto com os seus pais e avós. Como artista e professor de música e cultura afro-brasileira, já levou o seu trabalho para países da Ásia, da África, da Europa e das Américas. Entre outras tarefas, exerce as funções de presidente e diretor artístico do Teatro Popular Solano Trindade, além de ser percussionista do Quarteto MARV, dos projetos de Ricardo Nash e do trio Revista do Samba.  

Vitor da Trindade [com interpretação em Libras]
domingo 1 de setembro
às 19h
Sala Itaú Cultural (piso térreo) – 224 lugares
[duração aproximada: 70 minutos]

Entrada gratuita

[livre para todos os públicos]

distribuição de ingressos
público preferencial: uma hora antes do espetáculo | com direito a um acompanhante – ingressos liberados apenas na presença do preferencial e do acompanhante
público não preferencial: uma hora antes do espetáculo | um ingresso por pessoa

Clique aqui para saber mais sobre a distribuição de ingressos.

Veja também

Lagoas do Norte para quem?

O projeto de reurbanização da comunidade ribeirinha Boa Esperança é o mote de verdeVEZ, trabalho do artista visual Maurício Pokemon