Classificação indicativa: Livre
 

Entre os dias 19 e 22 de maio, a cantora paulista Mônica Salmaso se apresenta na Sala Itaú Cultural, na sede da organização, prestando uma homenagem ao sambista carioca Wilson Batista (1913-1968).

Autor de mais de 500 obras registradas, Batista compôs clássicos do samba e foi responsável por vários sucessos dos carnavais das décadas de 1940, 1950 e 1960. Entre suas composições mais famosas estão “Acertei no milhar”, parceria com Geraldo Pereira, “Não sei dar adeus”, com Ataulfo Alves, e “Deixa de ser convencida”, composta com Noel Rosa. Também foi protagonista de uma célebre polêmica com Noel Rosa, uma amigável rixa iniciada quando Noel compôs “Rapaz folgado”, em resposta à música “Lenço no pescoço”, de Batista. Da polêmica surgiram composições como “Mocinho da Vila”, “Conversa fiada” e “Terra de cego”.

A homenagem de Mônica Salmaso se apresenta como uma visita guiada à obra do compositor, gestada como proposta para o projeto Samba imenso, do Sesc. “Meu primeiro contato substancioso com a obra do Wilson Batista aconteceu quando ouvi o maravilhoso CD Ganha-se pouco mas é divertido, da Cristina Buarque. Uma seleção preciosa de uma obra bastante grande acontece nesse CD, deliciosamente cuidado com arranjos e músicos incríveis. Um CD necessário de ter!”, diz a cantora. Entendi que se tratava de um compositor que representa uma geração incrível de criadores quando a profissionalização de artistas da música estava ainda embrionária. Tempo importante da história da música popular brasileira e, neste caso, da música carioca.”

Salmaso é acompanhada por Paulo Aragão no violão, Teco Cardoso no saxofone e Luca Reale nas flautas e no clarinete. As apresentações acontecem às 20h entre os dias 19 e 21 de maio, e às 19h em 22 de maio. No dia 20, o show terá transmissão ao vivo no canal do Itaú Cultural (IC) no YouTube.

Imagem de show de Mônica Salmaso com quatro músicos sentados. Á esquerda um homem de cabelos pretos e camisa cinza toca violão, ao seu lado, Mônica Salmaso, de pé, toca alfaia e canta. Á direita, um home careca, de óculos toca saxofone e, ao seu lado um homem de cabelos grisalhos e camisa branca toca clarinete.
Mônica Salmaso homenageia Wilson Batista (imagem: Dani Gurgel)

Reserva de ingresso

Reserve seu ingresso via plataforma INTI a partir do dia 11 de maio, às 12h, para assistir à apresentação.

A bilheteria presencial abre 1h antes do evento começar para realizar o check-in dos ingressos. O QR Code com o ingresso deve ser validado até dez minutos antes do início do evento. Após esse horário, o ingresso não será mais válido.

Protocolos de segurança
É necessário apresentar comprovante físico ou o digital de vacinação contendo duas doses para ingressar na sede do Itaú Cultural (IC). Medida válida para maiores de 12 anos. O uso de máscara nos ambientes internos é opcional.

Devolução de ingresso
Em caso de imprevistos ou qualquer impossibilidade de comparecimento à programação para a qual reservou o ingresso, solicite o cancelamento deste através do e-mail ajuda@byinti.com em até duas horas antes do início do evento. Essa solicitação é muito importante e garante que o ingresso seja utilizado por outras pessoas que queiram prestigiar o evento. Agradecemos e contamos com sua compreensão.

Programação sujeita a cancelamento 
O Itaú Cultural informa que sua programação, virtual ou presencial, poderá ser cancelada em caso de contaminação por covid-19 de qualquer artista envolvido. Em caso de cancelamento, os ingressos adquiridos perdem sua validade. O público que reservou o ingresso será notificado por e-mail. Um eventual reagendamento da programação ficará a exclusivo critério do IC, de acordo com a disponibilidade de agenda, sem preferência para quem adquiriu os ingressos anteriormente.

Mônica Salmaso [com interpretação em Libras]
de quinta 19 a domingo 22 de maio de 2022
quinta a sábado às 20h e domingo às 19h
[duração aproximada: 80 minutos]
Sala Itaú Cultural (piso térreo) – 224 lugares

[livre para todos os públicos]

Entrada gratuita

Reserve o seu ingresso [a partir de 11 de maio, às 12h, até 10 minutos antes do início do espetáculo]

Sobre a artista

Conhecida pelo ecletismo em seu repertório, Mônica Salmaso iniciou sua carreira na peça O concílio do amor, em 1989. Em 1995, gravou o disco Afro-sambas, um duo de voz e violão com o instrumentista Paulo Bellinati, incluindo todos os afrossambas de Baden Powell e Vinicius de Moraes. Em 1997, foi indicada ao Prêmio Sharp como revelação na categoria MPB. Lançou Trampolim em 1998 e Voadeira um ano depois, com o qual ganhou o Prêmio APCA. O quarto CD de Mônica, IAIÁ, nasceu em 2004, seguido por Noites de gala, samba na rua, de 2007, com músicas de Chico Buarque. Nesse meio-tempo, foi convidada como solista de várias orquestras, como Osesp, OSB, Jazz Sinfônica de São Paulo e Orquestra Jovem Tom Jobim.

Com o CD Alma lírica brasileira, com Teco Cardoso e Nelson Ayres, lançado pela Biscoito Fino em 2011, recebeu o 23o Prêmio da Música Brasileira na categoria Melhor Cantora. Seu penúltimo CD, Corpo de baile (2014), com músicas de Guinga e Paulo César Pinheiro, foi indicada ao Prêmio da Música Brasileira em quatro categorias, das quais venceu duas – Melhor Cantora MPB e Melhor Canção. Em 2017, lançou o álbum Caipira, que recebeu elogios da crítica especializada e ganhou os prêmios de Melhor Álbum e Melhor Cantora – Categoria Regional no 29o Prêmio da Música Brasileira.

Em março de 2020, Mônica iniciou os vídeos Ô de casas, não como um projeto, mas como uma forma de promover encontros virtuais com os amigos no começo da pandemia, batizados por ela de “Encontros quentinhos de des-isolamento responsável”, que seguem até hoje.

Veja também