<<ATENÇÃO>> A exposição foi prorrogada até domingo, 28 de abril de 2019

Spider, uma das grandes aranhas de Louise Bourgeois, desembarca em dezembro de 2018 no Instituto Inhotim para ficar quatro meses exposta na galeria Mata. É a primeira vez que a obra da artista francesa deixa o Museu de Arte Moderna de São Paulo (MAM/SP), onde está exposta desde 1997, ano em que foi adquirida por Olavo Setubal e passou a integrar a Coleção Itaú Cultural.

Equilibrada em suas oito pernas, com terminações que remetem à agulha e ao bordado, a figura de mais de 3 metros de altura em bronze carrega em si o simbolismo da relação da artista com a infância e sua mãe. O tecer, parte do trabalho da mãe na reconstrução de tapeçarias, é também a arte da aranha com a teia.

Desde a década de 1940, as aranhas estão presentes no desenho de Louise Bourgeois, em um longo processo de condensação de sentidos – elas aparecem em desenhos, gravuras, pinturas e esculturas.

Louise Bourgeois (França, 1911-Estados Unidos, 2010) cresceu em um ateliê de restauro de tapeçarias na França. Sua mãe restaurava as peças e Louise participava, ajudando-a no trabalho. Repleto de agulhas, lãs e imagem, labor e sexualidade, o ofício teve intrínseca relação com o que a artista passou a produzir mais tarde.

Os eventos de sua infância e a relação que construiu com a mãe e o pai tornaram-se tema central de suas obras, que mostram a busca pela reconstrução de sua história e seus símbolos.

Com a morte da mãe, com quem tinha uma relação profunda, em 1932 Louise abriu mão de estudar matemática e se voltou para a arte. Ela passou por salas de aula de grandes instituições, como a Académie de la Grande-Chaumière, a École des Beaux-Arts e a École du Louvre.

Aranha (Spider), de Louise Bourgeois, na Coleção Itaú Cultural
sábado 15 de dezembro de 2018 a domingo 28 de abril de 2019
terça a sexta 9h30 às 16h30
sábado, domingo e feriado 9h30 às 17h30

Galeria da Mata | Instituto Inhotim [Rua B, 20 Fazenda Inhotim, Brumadinho – MG]

[livre para todos os públicos]

Veja também