A partir de 17 de março, o arquiteto, designer gráfico e gestor cultural Ricardo Ohtake ocupa o posto de titular da Cátedra Olavo Setubal de Arte, Cultura e Ciência, resultado de uma parceria entre o Instituto de Estudos Avançados da Universidade de São Paulo (IEA/USP) e o Itaú Cultural, financiador da iniciativa. O primeiro titular a ocupar o cargo foi o sociólogo, cientista político, filósofo e diplomata Sérgio Paulo Rouanet, que se despede de sua gestão em uma mesa-redonda sobre a obra de Machado de Assis no dia 16 de março, às 14h30, na Antiga Sala do Conselho Universitário da USP. A cerimônia de posse de Ohtake acontece no dia seguinte, às 10 horas, na Sala do Conselho Universitário, com transmissão ao vivo pela internet, no link.

Ohtake será o segundo dos cinco titulares da cátedra
Ohtake será o segundo dos cinco titulares da cátedra

Com cinco anos de duração, a cátedra foi criada em 17 de fevereiro de 2016 e é a primeira da Universidade de São Paulo a contemplar também a arte. A escolha de Ohtake como segundo titular veio do Comitê de Governança da cátedra, que reuniu três representantes de cada parceiro – IEA e Itaú Cultural –, além do ocupante de momento do posto (no caso, Rouanet).

Martin Grossman, ex-diretor do IEA e coordenador acadêmico do convênio, destaca a importância da nomeação de Ohtake como titular, dada sua notória carreira como formulador e implantador de políticas públicas para a cultura e como gestor de instituições culturais. Ricardo Ohtake é, desde 2001, diretor do Instituto Tomie Ohtake e também preside a Associação Brasileira de Entidades Culturais Não Lucrativas (Anec). Além disso, participa do projeto organizado por sua família – ele é filho de Tomie Ohtake – de transformar a casa da mãe em um centro cultural dedicado às artes plásticas. Já foi professor em diversas faculdades de arquitetura, comunicações e artes plásticas, secretário da Cultura do estado de São Paulo e diretor de instituições como o Centro Cultural São Paulo, o Museu da Imagem e do Som e a Cinemateca Brasileira.

A Cátedra Olavo Setubal de Arte, Cultura e Ciência se destaca pela atenção especial dada aos diversos aspectos relacionados à gestão cultural e às políticas públicas para a cultura. Segundo Grossman, a gestão de Rouanet foi importante não apenas pelo fato de ele ser o autor da lei de incentivo que leva seu nome, mas também por sua visão sobre políticas públicas para o setor e sua reflexão filosófica sobre a arte. Com Ohtake, a coordenação do convênio busca debater outras concepções de políticas públicas e a influência da arte na sociedade.

Despedida de Rouanet

Sérgio Paulo Rouanet se despede de seu cargo como titular da cátedra numa mesa que tem como tema o escritor Machado de Assis e sua obra. Também participam do debate Alfredo Bosi, crítico literário, editor da revista Estudos Avançados e professor da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH) da USP; Hélio Guimarães, professor na FFLCH e editor da revista eletrônica Machado de Assis em Linha; e as pesquisadoras Irene Moutinho e Silvia Eleutério, que atuaram com Rouanet na concepção da coletânea Correspondência de Machado de Assis.

Rouanet no lançamento da cátedra, em 17 de maio de 2016
Rouanet no lançamento da cátedra, em 17 de maio de 2016

A mesa aborda as cartas que o escritor trocou com nomes como Quintino Bocaiuva, Joaquim Nabuco, Salvador de Mendonça, Joaquim Serra e Mário de Alencar, e discute a forma shandiana, ideia elaborada por Rouanet, “caracterizada pela hipertrofia da subjetividade, pela fragmentação e digressividade do texto, pelos paradoxos espaço-temporais e pela mescla do riso e da melancolia”.

O evento acontece no dia 16 de março, às 14h30, na Antiga Sala do Conselho Universitário da USP, e será transmitido ao vivo pela internet, no link. Para participar presencialmente é preciso se inscrever através de formulário.