Os brasileiros aumentaram o consumo de atividades culturais no ambiente on-line durante a pandemia e pretendem manter o hábito após a volta à normalidade. O dado é uma das conclusões da pesquisa Hábitos culturais II, realizada em conjunto pelo Itaú Cultural e pelo Datafolha e apresentada a jornalistas de todo o Brasil na manhã desta quinta-feira, 22 de julho de 2021. Dia 18 de agosto, às 15 horas, acontecerá um seminário, com transmissão on-line, em que serão debatidos os dados da pesquisa.

Veja também:
>>Outubro de 2020:
 IC e Datafolha lançam pesquisa sobre hábitos culturais no contexto da pandemia

Segundo o levantamento, que ouviu 2.276 indivíduos em todo o país, entre os dias 10 de maio e 9 de junho, o aumento de consumo de cultura no ambiente virtual ocorreu no momento em que os brasileiros passaram a ficar mais conectados à internet. De acordo com o estudo, 76% dos entrevistados informaram que passaram a se conectar todos os dias. Em 2020, o índice era de 71%.

O consumo de apresentações artísticas de teatro, dança e música disparou. No ano passado, 20% dos indivíduos diziam que consumiam esse tipo de atividade no ambiente on-line. Neste ano,  o índice dobrou e subiu para 40%.

Confira nossa agenda com as próximas atrações on-line!

Outra atividade que teve forte crescimento durante a pandemia foi a audição de podcasts. Em 2020, 24% dos entrevistados informaram que acessavam plataformas do gênero. Neste ano, o índice subiu para 39%, salto de 15 pontos percentuais.

Outros aumentos puderam ser vistos no consumo de jogos eletrônicos, que foi de 32% para 43%;  música on-line, que aumentou de 74% para 79%; e filmes e séries, de 68% para 75% dos entrevistados. Crescimentos também se deram em cursos livres on-line (de 35% para 41%) e na leitura de livros digitais (de 36% para 40%). Espetáculos infantis, por sua vez, se mantiveram estáveis (23%).

Você já conhece a Itaú Cultural Play?

Dois homens aparecem em foto preto e branca, nos bastidores das filmagens de Deus e o diabo na terra do sol, filme de 1964. Um deles, à esquerda, é o diretor Glauber Rocha, e está com uma espingarda na mão. O outro, o ator Maurício do Valle, usa chapéu e olha atentamente para a espingarda.
Glauber Rocha, à esquerda, e Maurício do Valle, durante as filmagens de Deus e o diabo na terra do sol (1964). O filme está disponível na plataforma Itaú Cultural Play (imagem: divulgação)

“A indústria da cultura soube reagir aos desafios da pandemia e rapidamente levou sua produção para o ambiente on-line, onde encontrou uma audiência ávida por entretenimento, reflexão e novas experiências”, diz Eduardo Saron, diretor do Itaú Cultural. “Instituições, corpos estáveis, grupos artísticos e uma legião de profissionais da área criaram um ambiente mais leve para estes tempos tão duros”, completa ele.

Manutenção de hábito

A pesquisa Itaú Cultural/Datafolha também apontou que o hábito de consumir atividades culturais on-line tem boas chances de se manter no pós-pandemia.

De acordo com os dados, 80% dos que assistiram a apresentações de teatro, música e dança nesse ambiente pretendem seguir com a prática mesmo após a volta à normalidade. O índice é o mesmo declarado para aulas ou oficinas de arte.

Já entre os espectadores de apresentações infantis, o índice é de 81%, semelhante aos 82% declarados pelos habitués de seminários nas redes.

Fotografia colorida mostra duas mulheres brancas com calças jeans camisetas compridas, coletes e óculos de grau dançando em frente a um detalhe da serra da capivara e a pinturas rupestres de lá
A websérie Olho mágico" está disponível no YouTube do Itaú Cultural até o dia 29 de agosto de 2021 (imagem: frame do vídeo)
Veja também

Pandemia de coronavírus, um ano depois

Em um ano, aqui no site do Itaú Cultural, refletimos sobre os impactos da pandemia no setor cultural e demos vozes e palco virtual a artistas de várias áreas