Arany Santana relembra a autoridade “lenta, macia e sutil” de Mãe Hilda Jitolu. Vivaldo Benvindo, Antonio Carlos dos Santos Vovô e Hildelice dos Santos, filhos da ialorixá, falam sobre a importância do apoio de Mãe Hilda para a criação do Ilê Aiyê. Luiza dos Santos, moradora mais antiga do Curuzu, fala das pessoas que foram apoiadas e acolhidas no terreiro. Iana Marucha, cantora do Ilê Aiyê, canta uma música em homenagem à Mãe Hilda.

Como um grito de resistência contra os desmandos históricos que oprimem a liberdade e a majestade que habita cada pessoa – no caso, os negros –, a 42ª Ocupação homenageia a trajetória do Ilê Aiyê. 

Depoimentos gravados em julho de 2018, em Salvador/BA.

Saiba mais sobre a exposição.

Créditos
Presidente: Milú Villela
Diretor-superintendente: Eduardo Saron
Superintendente administrativo: Sérgio Miyazaki
Gerente do Núcleo de Comunicação e Relacionamento: Ana de Fátima Sousa
Coordenador de conteúdo: Carlos Costa
Entrevistas: Carlos Costa e Jullyanna Salles
Gerente do Núcleo de Audiovisual e Literatura: Claudiney Ferreira
Coordenadora de conteúdo audiovisual: Kety Fernandes Nassar
Produção audiovisual: Roberta Roque
Captação de imagens: André Seiti, Richner Allan e Nove Noventa (terceirizada)
Pesquisa e roteiro: Richner Allan e Roberta Roque
Edição: Richner Allan
Som direto: Tomás Franco (terceirizado)
 

Veja também

Cultura nas Capitais: Desdobramentos

O Itaú Cultural, a JLeiva e o Datafolha propõem debates sobre as práticas culturais no Brasil a partir de dois pontos de vista determinantes da vida social: fé e etnia
onde: Itaú Cultural

Espetáculo e atividade propõem reflexão sobre ancestralidade

Do que somos feitos? Somos terra, viemos dela e para ela voltaremos. “Poeira”, espetáculo do Grupo Ninho de Teatro, documenta o prazer de se misturar e a alegria existente no encontro com mestres populares e no resgate da tradição
onde: Itaú Cultural