Fernanda Nia é uma das convidadas da terceira edição da Banca de Quadrinistas e expõe seu trabalho no evento nos dias 22 e 23 de setembro.

Publicitária e ilustradora, ela é aficionada desde cedo por livros e histórias em quadrinhos. Começou seu trabalho autoral em 2011, ao criar o site Como Eu Realmente, que em 2014 se transformou em uma série de livros. Em 2018, a autora estreou na prosa com seu primeiro romance, Mensageira da Sorte. Fernanda Nia também ilustra e cria conteúdo para outros livros e materiais do mercado editorial e publicitário, passando por editoras como Gutenberg, Record e Seleções.

Como aquecimento para a Banca, os convidados escolheram um de seus trabalhos para publicação no site e comentaram a escolha. Fernanda Nia enviou algumas tirinhas de sua série Como Eu Realmente. Confira abaixo:

Por que você escolheu essas histórias?
Porque são histórias sobre mim mesma e sobre todos nós ao mesmo tempo, sobre o que amamos ou como nos sentimos, e isso é uma forma de nos conectar. De rir e chorar juntos. De saber que não estamos sozinhos.

Como foi o processo de criação delas?
Primeiro vem a ideia, que normalmente surge no dia a dia. Tudo o que parece divertido ou relevante o suficiente para abordar eu anoto em roteirinhos de duas/três linhas em um documento digital, no celular mesmo. Quando preciso fazer novos quadrinhos, é só escolher um deles. Já na etapa de produção, parto para o programa Adobe Animate, que é o que uso para a maior parte do conteúdo do Como Eu Realmente.

Como as tirinhas são curtas, acabo não precisando de roteiro nem esboço na maioria dos casos, então organizo a história na cabeça e vou direto para a arte e redação finais. É tudo feito digitalmente, com uma mesa digitalizadora. Tirinhas mais simples levam em média uma hora e pouco para fazer, e as maiores e mais complicadas podem levar até um dia inteiro.

Veja também