Informações

quartas 2, 9 e 16 de agosto de 2017

às 19h

[duração aproximada: 90 min]

Sala Itaú Cultural (piso térreo) – 224 lugares

Entrada gratuita

distribuição de ingressos

público preferencial: duas horas antes do encontro, com direito a um acompanhante – ingressos liberados apenas na presença do preferencial e do acompanhante

público não preferencial: uma hora antes do encontro, um ingresso por pessoa

[livre para todos os públicos]


Itaú Cultural

Endereço

Avenida Paulista 149 São Paulo SP
CEP: 01311 000 [Estação Brigadeiro do metrô]

Contatos e Informações Extras

fone 11 2168 1777 fax 11 2168 1775

As várias fases da produção dos quadrinhos, a referência a questões do sagrado e a influência da HQ japonesa no Brasil são os assuntos do segundo ciclo de debates Caminhos da HQ, que ocorre nas quartas 2, 9 e 16 de agosto, no Itaú Cultural, em São Paulo.

Veja também:

>> Banca de Quadrinistas

Três pares de quadrinistas falam com o público a cada dia: no dia 2, José Aguiar (A Infância do Brasil) e Mariana Cagnin (Black Silence); no dia 9, Alex Mir (Orixás – do Orum ao Ayê) e Laudo Ferreira (Yeshuah); no dia 16, Marcelo Cassaro e Petra Leão (Turma da Mônica Jovem, Holy Avenger). Os convidados, além de apresentar seu processo criativo, criarão quadrinhos ao vivo.

José e Mariana conversarão sobre o que abarca um projeto de quadrinhos – roteiro, publicação, divulgação – e o que extrapola, como o diálogo das HQs com outras linguagens artísticas e as atividades dos autores em outras mídias. Alex, que se inspirou na religiosidade africana, e Laudo, que recontou a vida de Jesus Cristo, tratam de como o sagrado aparece nas suas histórias. Por fim, Marcelo e Petra comentam o impacto dos mangás no mercado brasileiro.

Acesse detalhes das mesas e minibiografias dos participantes na aba Programação.

Cobertura

O Caminhos da HQ – assim como a Banca de Quadrinistas – terá neste ano uma cobertura em quadrinhos. O responsável por transformar esses eventos sobre a nona arte em nona arte será Alexandre de Maio, especialista em jornalismo em quadrinhos. O conteúdo será publicado posteriormente no site do Itaú Cultural, em data a ser divulgada.

Histórico

Quadrinhos e seus autores têm sido protagonistas em diversas atividades do Itaú Cultural. É o caso da série Ocupação, que homenageou os quadrinistas Angeli (2012), Laerte (2014) e Glauco (2016) – as duas primeiras mostras vencedoras do Troféu HQ Mix na categoria Exposição, e a última recém-indicada ao mesmo troféu, na categoria Evento.

Além disso, artistas como Lourenço Mutarelli, Fábio Moon, Gabriel Bá, Marcelo D’Salete, Carol Rossetti e Rafael Coutinho estiveram na programação do instituto. Um pouco do nosso conteúdo relacionado a HQs pode ser conferido nos vídeos desta playlist.

Caminhos da HQ
quartas 2, 9 e 16 de agosto de 2017
às 19h
[duração aproximada: 90 min]
Sala Itaú Cultural (piso térreo) – 224 lugares

Entrada gratuita

distribuição de ingressos
público preferencial: duas horas antes do encontro, com direito a um acompanhante – ingressos liberados apenas na presença do preferencial e do acompanhante
público não preferencial: uma hora antes do encontro, um ingresso por pessoa

[livre para todos os públicos]

Clique aqui para saber mais sobre a distribuição de ingressos.

Veja também
02/08/2017 Quarta-feira - 19h

Seu Projeto de Quadrinhos

com José Aguiar (A Infância do Brasil) e Mariana Cagnin (Black Silence)



Um projeto de quadrinhos envolve a produção de tiras, charges e/ou histórias de uma ou mais páginas para publicação impressa ou digital. Também pode envolver palestras, cursos, tutoriais em vídeo e criações que misturam linguagens artísticas. Os convidados, tanto roteiristas quanto desenhistas, falam de suas obras e de sua visão.

José Aguiar

José Aguiar é quadrinista, autor de A Infância do Brasil, Coisas de Adornar Paredes, Folheteen e Nada com Coisa Alguma, publicações de seu selo independente Quadrinhofilia. Desenhista e roteirista, publicou na França, em Portugal e na Alemanha, além do Brasil. É cocriador dos eventos Cena HQ (leituras dramáticas de quadrinhos) e Gibicon (a bienal de HQs de Curitiba). Também apresenta mensalmente o Ciclo de Quadrinhos nas livrarias Curitiba desde 2013. Além disso, assina os desenhos da revista em quadrinhos O Museu dos Horrores, criada dentro de A Macabra Biblioteca do Dr. Lucchetti, da companhia de teatro curitibana Vigor Mortis, projeto selecionado pelo Rumos Itaú Cultural.

Mariana Cagnin

Mariana Cagnin é formada em artes visuais pela Universidade Estadual Paulista (Unesp) e atua como ilustradora e quadrinista. É autora dos quadrinhos Black Silence (publicação independente que rendeu o Troféu Angelo Agostini 2017 de Melhor Desenhista) e Vidas Imperfeitas. Também produz conteúdo sobre arte para seu canal de vídeos, como dicas, tutoriais e processos de pintura, e ministra cursos e workshops para jovens artistas.

09/08/2017 Quarta-feira - 19h

Os Lugares do Sagrado nas HQs

com Alex Mir (Orixás – do Orum ao Ayê) e Laudo Ferreira (Yeshuah)

Dois artistas que encontraram no campo do sagrado inspiração para boas histórias. O ilustrador e roteirista Laudo Ferreira produziu, ao longo de mais de dez anos, uma HQ sobre a vida de Jesus Cristo, com mais de 500 páginas, além de criar histórias nas quais aborda o xamanismo. Já o roteirista Alex Mir, desde 2011 produz uma série de quadrinhos sobre os orixás, que terá uma sequência realizada em parceria com Laudo.

Alex Mir

Alex Mir é roteirista de Orixás – do Orum ao Ayê, Orixás – o Dia do Silêncio, O Mistério da Mula sem Cabeça, A Mão e a Luva em Quadrinhos, Muiraquitã e a Fúria do Anhangá, Folklóricas #1 –  Y-iara Caapora Irumo, Valkíria – a Fonte da Juventude, Valkíria – Olhos de Cristal e Segundo Tempo. É cocriador de Valkíria, publicada no site Petisco. Tem oito indicações ao Troféu HQMIX, tendo vencido em 2010 na categoria Roteirista Revelação. Também recebeu o Prêmio Angelo Agostini de Melhor Roteirista e de Melhor Publicação (2016) e de Melhor Roteirista (2017). 

Laudo Ferreira

Laudo Ferreira é desenhista e roteirista de HQs e ilustrador, com diversos prêmios HQMIX e Angelo Agostini. Entre seus quadrinhos estão a trilogia Yeshuah, Histórias do Clube da Esquina, adaptações de filmes do cineasta José Mojica Marins (Zé do Caixão), a série erótica da personagem Tiazinha e, o mais recente, Cadernos de Viagem.

16/08/2017 Quarta-feira - 19h

Mangá Brasileiro

com Marcelo Cassaro e Petra Leão (Turma da Mônica Jovem e Holy Avenger)

Fruto de uma cultura extremamente pictórica, os mangás (quadrinhos japoneses) têm muitos fãs também no Brasil. A influência se dá tanto no interesse pelas obras orientais como também na importação de técnicas para a produção de material nacional. Para debater a respeito, reunimos Petra Leão e Marcelo Cassaro, dois autores de histórias referenciais para o mercado nacional de HQ e que seguem esse estilo. Ambos integram a equipe de roteiristas da série Turma da Mônica Jovem. Cassaro, que também desenha, é cocriador e roteirista principal da série Holy Avenger, que teve edições especiais roteirizadas por Petra.

Marcelo Cassaro

Marcelo Cassaro é roteirista, desenhista e editor. Atualmente é roteirista dos mangás nacionais Turma da Mônica Jovem e Chico Bento Moço. Assinou como editor e roteirista quadrinhos como Holy Avenger, com Erica Awano, a primeira HQ brasileira com mais de 40 edições nas últimas três décadas e que segue estilo mangá.  Também atuou como animador assistente nos Estúdios Mauricio de Sousa e roteirista e desenhista na Abril Jovem (com personagens como Os Trapalhões). Em 1995, lançou a Dragão Brasil, primeira revista mensal especializada em jogos de RPG, única a completar mais de cem edições e que foi relançada há pouco tempo via financiamento coletivo. É ainda autor de RPGs baseados em video games como Street Fighter e Megaman e um dos autores de Tormenta e 3D&T (jogo de RPG baseado em mangá e anime).

Petra Leão

Petra Leão é formada em educação artística pela Fundação Armando Alvares Penteado (Faap). Começou sua carreira como roteirista de histórias em quadrinhos em 2000. Publicou HQs na editora Talismã, como as edições especiais de Holy Avenger, Dado Selvagem, Mercenário$ e Victory 2 (esta publicada nos Estados Unidos pela Image Comics, o que a tornou a primeira mulher brasileira a ter HQ publicada no mercado americano). Além de seu trabalho com quadrinhos, atuou como redatora em revistas informativas para o público geek, como Dragão Brasil, Anime Ex e Animation Invaders. Desde 2008 trabalha na Mauricio de Sousa Produções escrevendo as revistas em quadrinhos mais vendidas do mercado nacional: Turma da Mônica Jovem e Chico Bento Moço.