A Cátedra Olavo Setubal da Universidade de São Paulo (USP) é uma parceria entre o Itaú Cultural Instituto de Estudos Avançados (IEA/USP). Desde 2016, a iniciativa abre espaço para a discussão e a promoção de atividades voltadas para o cenário das artes – com foco na gestão cultural.

Com duração mínima de cinco anos, a cátedra conta com a coordenação acadêmica de Martin Grossmann – ex-diretor do IEA e professor da Escola de Comunicações e Artes (ECA) da USP – e se estrutura em dois programas: Redes Globais de Jovens Pesquisadores e Líderes na Arte, Cultura e Ciência. O primeiro visa à formação de novas lideranças, fomentando o trabalho de pesquisadores de até 40 anos de idade; o segundo, por sua vez, concentra-se na questão das políticas públicas para a cultura e as artes.

A previsão orçamentária total é de 1,5 milhão de reais, valor custeado pelo Itaú Cultural. Para cada programa está prevista a dotação anual de 300 mil reais.

Titulares

A cada ano a Cátedra Olavo Setubal elege um novo titular para orientar suas atividades. Em 2016, o cargo foi ocupado por Sérgio Paulo Rouanet, diplomata, ensaísta, ex-secretário nacional de Cultura e autor do projeto da lei de incentivo à cultura que leva o seu nome. No ano seguinte, o titular foi Ricardo Ohtake, diretor do Instituto Tomie Ohtake e presidente da Associação Nacional das Entidades Culturais Não Lucrativas (Anec).

No dia 27 de março de 2018, quem assume a função é a educadora e ativista social Eliana Sousa Silva, diretora-fundadora da Redes da Maré, instituição focada no desenvolvimento sustentável do maior conjunto de favelas do Rio de Janeiro, a Maré.

Assista aqui ao registro dos encontros realizados pela cátedra desde 2016.

Clique aqui para saber mais sobre o projeto.

Veja também