Toca Brasil
Dani Ribas é loira, tem cabelos cacheados e compridos. Ela está com as duas mãos na cintura, usa vestido preto e tem tatuagens coloridas no braço esquerdo.
imagem: Patrícia Soransso e Pedro Marguerito

Dani Ribas – Toca Brasil

Dani Ribas fala sobre a potência econômica da vida noturna e musical de cidades como São Paulo e Londres, e comenta sobre a participação das mulheres na cadeia da música brasileira
Juçara Marçal é negra, usa os cabelos curtos e forma um triângulo com as duas mãos no rosto, deixando olhos, nariz e boca de fora. O título Toca Brasil aparece no canto direito, em amarelo.
imagem: José de Holanda

Juçara Marçal – Toca Brasil

Cantora e compositora de voz potente, afinação precisa e coerência artística inabalável, Juçara integrou o grupo A Barca e atualmente faz parte do Metá Metá
Marcos Almeida está sorrindo e usa barba. Ele aparece em imagem com tons de rosa. A frase Toca Brasil aparece em amarelo, no canto direito.
imagem: Diego Ruahn

Marcos Almeida – Toca Brasil

O músico mineiro Marcos Almeida conta como abandonou o curso técnico de torneiro mecânico para fundar uma pequena escola de música antes de completar 16 anos
Imagem com fundo rosa com a frase Toca Brasil escrita em amarelo e logo do Itaú Cultural em branco na parte de baixo.
imagem: Itaú Cultural

Toca Brasil

Podcast do Itaú Cultural recebe pessoas do mundo da música para um bate-papo com Edson Natale
João das Neves é grisalho e usa camiseta cinza. Ele está em um parque, na frente de um lago. Seu rosto aparece de lado.
imagem: frame de vídeo

52 anos sem Guimarães Rosa

Homenageado pelo programa Ocupação em 2015, João das Neves (foto) fala sobre a surpresa das primeiras leituras de Guimarães Rosa – como recebeu sua linguagem e histórias e por que resolveu adaptá-las ao teatro
Dani Ribas é loira, tem cabelos cacheados e compridos. Ela está com as duas mãos na cintura, usa vestido preto e tem tatuagens coloridas no braço esquerdo.
imagem: Patrícia Soransso e Pedro Marguerito

Dani Ribas – Toca Brasil

Dani Ribas fala sobre a potência econômica da vida noturna e musical de cidades como São Paulo e Londres, e comenta sobre a participação das mulheres na cadeia da música brasileira