Passarela

1915

Artigas em 1915 | Imagem: Acervo da Família Artigas

Compartilhe

Uma Biografia de Artigas: Origens

O site da Ocupação possui uma playlist interativa. Quer saber como usá-la?
Você pode ouvir uma música clicando no botão play (localizado à esquerda do nome de cada música). Pode continuar ouvindo as músicas enquanto navega em outros conteúdos, clicando no botão + (localizado ao lado do botão play) e adicionar as faixas à sua playlist. E pode também interagir com a playlist, clicando no botão com ícone de áudio que aparecerá no canto inferior direito da tela.

Entrevista com a historiadora Rosa Artigas, filha de Artigas. Parte 1 de 5 – a série continua nesta seção.

Rosa Camargo Artigas, filha de Vilanova Artigas, é historiadora formada pela Universidade de São Paulo (USP). Organizou os livros Paulo Mendes da Rocha v. 1 (2000), Arquiteto João Walter Toscano (2002), Caminhos da Arquitetura (2004), Paulo Mendes da Rocha v. 2 (2007) e Caminhos do Elevado – Memória e Projetos (2009). Foi curadora de várias exposições nacionais e internacionais. Publicou artigos em livros, revistas e catálogos nacionais e estrangeiros.

Compartilhe

Linha do Tempo (1)

1915 João Batista Vilanova Artigas nasce em Curitiba (PR), em 23 de junho. É o primeiro filho de Alda Vilanova Artigas e Brasílio Artigas.

1922 Após a morte prematura do pai, sua família se muda para Teixeira Soares (PR), vilarejo onde sua mãe passa a trabalhar como professora. É ali, também, que Artigas faz o curso primário.

1927 É admitido no curso secundário do Gymnasio Paranaense – no momento em que a escola experimenta uma reforma de ensino baseada em teorias modernas.

1931 Presta vestibular para a Escola de Engenharia do Paraná.

1933 No final do ano, transfere-se para a Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (Poli/USP) a fim de estudar arquitetura – à época uma especialização do curso de engenharia civil.

1936 Frequenta o curso livre de desenho com modelo vivo da Escola de Belas Artes de São Paulo e, ao mesmo tempo, faz estágio no escritório de Oswaldo Bratke e Carlos Botti.

Compartilhe

1930

Artigas em 1930 | Imagem: Acervo da Família Artigas

Compartilhe

1933

Artigas em 1933 | Imagem: Acervo da Família Artigas

Compartilhe

1935

Artigas em 1935 | Imagem: Acervo da Família Artigas

Compartilhe

Linha do Tempo (2)

1937 Participa das aulas de desenho com modelo vivo nos ateliês do Grupo Santa Helena, onde conhece Virginia Camargo – sua futura esposa –, Clóvis Graciano, Francisco Rebolo, Fulvio Pennacchi, Mário Zanini, Aldo Bonadei, Alfredo Volpi e Paulo Rossi Osir, entre outros artistas. É diplomado engenheiro-arquiteto pela Poli/USP.

1939 É classificado em segundo lugar, com Gregori Warchavchik, no concurso de anteprojetos para o Paço Municipal de São Paulo. No escritório de Warchavchik, conhece Jacob Ruchti, com quem passa a estudar a obra do arquiteto norte-americano Frank Lloyd Wright, que influencia alguns de seus trabalhos. Participa da segunda exposição da Família Artística Paulista.

1940 Dando início à sua carreira de docente, atua como segundo adjunto da cadeira de estética, composição geral e urbanismo I e II da Poli/USP.

1942 Vai morar com Virginia Camargo em um apartamento no Edifício Guarany, obra de Rino Levi no centro de São Paulo. Projeta sua primeira residência, a Casinha. Por meio da convivência com o arquiteto Luís Saia e com a Família Artística Paulista, conhece o escritor Mário de Andrade.

1943 Fundação do departamento de São Paulo do Instituto de Arquitetos do Brasil (IAB). É eleito primeiro-secretário da organização. Casa-se com Virginia.

Compartilhe

Uma Biografia de Artigas: Formação

Entrevista com a historiadora Rosa Artigas, filha de Artigas. Parte 2 de 5 - a série continua nesta seção.

Rosa Camargo Artigas, filha de Vilanova Artigas, é historiadora formada pela Universidade de São Paulo (USP). Organizou os livros Paulo Mendes da Rocha v. 1 (2000), Arquiteto João Walter Toscano (2002), Caminhos da Arquitetura (2004), Paulo Mendes da Rocha v. 2 (2007) e Caminhos do Elevado – Memória e Projetos (2009). Foi curadora de várias exposições nacionais e internacionais. Publicou artigos em livros, revistas e catálogos nacionais e estrangeiros.

Compartilhe

Grupo Santa Helena (1)

Desenhos do período de formação de Artigas, feitos no Grupo Santa Helena | Imagem: Acervo da Família Artigas

Compartilhe

Grupo Santa Helena (2)

Desenhos do período de formação de Artigas, feitos no Grupo Santa Helena | Imagem: Acervo da Família Artigas

Compartilhe

Grupo Santa Helena (3)

Desenhos do período de formação de Artigas, feitos no Grupo Santa Helena | Imagem: Acervo da Família Artigas

Compartilhe

Grupo Santa Helena (4)

Desenhos do período de formação de Artigas, feitos no Grupo Santa Helena | Imagem: Acervo da Família Artigas

Compartilhe

Grupo Santa Helena (5)

Desenhos do período de formação de Artigas, feitos no Grupo Santa Helena | Imagem: Acervo da Família Artigas

Compartilhe

Grupo Santa Helena (6)

Desenhos do período de formação de Artigas, feitos no Grupo Santa Helena | Imagem: Acervo da Família Artigas

Compartilhe

Grupo Santa Helena (7)

Desenhos do período de formação de Artigas, feitos no Grupo Santa Helena | Imagem: Acervo da Família Artigas

Compartilhe

Grupo Santa Helena (8)

Desenhos do período de formação de Artigas, feitos no Grupo Santa Helena | Imagem: Acervo da Família Artigas

Compartilhe

Grupo Santa Helena (9)

Desenhos do período de formação de Artigas, feitos no Grupo Santa Helena | Imagem: Acervo da Família Artigas

Compartilhe

Grupo Santa Helena (10)

Desenhos do período de formação de Artigas, feitos no Grupo Santa Helena | Imagem: Acervo da Família Artigas

Compartilhe

Virginia Artigas

Virginia, esposa de Artigas | Imagem: Acervo da Família Artigas

Compartilhe

Uma Biografia de Artigas: EUA, Rússia e os Concretistas

O site da Ocupação possui uma playlist interativa. Quer saber como usá-la?
Você pode ouvir uma música clicando no botão play (localizado à esquerda do nome de cada música). Pode continuar ouvindo as músicas enquanto navega em outros conteúdos, clicando no botão + (localizado ao lado do botão play) e adicionar as faixas à sua playlist. E pode também interagir com a playlist, clicando no botão com ícone de áudio que aparecerá no canto inferior direito da tela.

Entrevista com a historiadora Rosa Artigas, filha de Artigas. Parte 3 de 5 – a série continua nesta seção.

Compartilhe

1938

Artigas em 1938 | Imagem: Acervo da Família Artigas

Compartilhe

1940

Artigas em 1940 | Imagem: Acervo da Família Artigas

Compartilhe

1943

Artigas em 1943 | Imagem: Acervo da Família Artigas

Compartilhe

Uma Biografia de Artigas: Quatro Frentes de Atuação

Entrevista com a historiadora Rosa Artigas, filha de Artigas. Parte 4 de 5 - a série continua nesta seção.

Rosa Camargo Artigas, filha de Vilanova Artigas, é historiadora formada pela Universidade de São Paulo (USP). Organizou os livros Paulo Mendes da Rocha v. 1 (2000), Arquiteto João Walter Toscano (2002), Caminhos da Arquitetura (2004), Paulo Mendes da Rocha v. 2 (2007) e Caminhos do Elevado – Memória e Projetos (2009). Foi curadora de várias exposições nacionais e internacionais. Publicou artigos em livros, revistas e catálogos nacionais e estrangeiros.

Compartilhe

Linha do Tempo (3)

1944 Inspirado pelos movimentos em prol da autonomia do campo da arquitetura em relação ao da engenharia, desmancha sua sociedade com Duílio Marone e monta um escritório próprio como profissional liberal.

1945 Participa do Primeiro Congresso Brasileiro de Arquitetos, promovido em São Paulo pelo Instituto de Arquitetos do Brasil (IAB). Filia-se ao Partido Comunista do Brasil (PCB). Associa-se à Sociedade Amigos da Cidade.

1946 Recebe da Fundação Guggenheim uma bolsa para estudar arquitetura moderna nos Estados Unidos. Projeta o Edifício Louveira.

1948 Participa da fundação da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo (FAU/USP). Passa a atuar como professor tanto da FAU quanto da Poli. Faz o projeto para as instalações do Museu de Arte Moderna (MAM) de São Paulo e participa de sua fundação. Nasce seu primeiro filho, Julio.

1949 Projeta e constrói, ao lado da primeira casa – de 1942 –, a segunda residência da família.

Compartilhe

1946

Artigas em 1946 | Imagem: Acervo da Família Artigas

Compartilhe

Linha do Tempo (4)

1950 Participa do conselho de redação da revista Fundamentos, com os escritores e jornalistas Aparício Torelly, Astrojildo Pereira e Graciliano Ramos, o artista Clóvis Graciano, o físico e crítico de arte Mario Schenberg e o arquiteto Oscar Niemeyer, entre outros. Nasce sua filha Rosa

1951 Publica, na revista Fundamentos, o artigo Le Corbusier e o Imperialismo, no qual critica o sistema Modulor criado pelo arquiteto franco-suíço Le Corbusier. Ao padronizar os sistemas de medidas, o princípio facilitava, de acordo com Artigas, a dominação dos Estados Unidos sobre os países menos desenvolvidos.

1952 Publica o artigo Os Caminhos da Arquitetura Moderna, com o qual busca argumentos para combater o “realismo socialista” – linha de pensamento proposta pelos comunistas para o campo da arte – e a arquitetura de Le Corbusier e Frank Lloyd Wright. Participa da Excursão Internacional de Arquitetos pela Paz, em Varsóvia, Polônia, onde será fundada a União Internacional

Compartilhe

1952

Artigas em 1952 | Imagem: Acervo da Família Artigas

Compartilhe

Linha do Tempo (5)

1953 Participa da comissão organizadora do IV Congresso Nacional de Arquitetura, por ocasião do IV Centenário de São Paulo. Com os arquitetos Plínio Croce e Lina Bo Bardi, participa da Comissão Organizadora de Exposições Permanentes de Trabalhos de Arquitetos do IAB/SP. Passa 50 dias na União Soviética – como atividade de militância pelo Partido Comunista do Brasil. Circulam os últimos números da revista Fundamentos. Vence o concurso para a construção do Estádio do Morumbi.

1956 Participa do concurso para o plano piloto de Brasília. Projeta a Casa Olga e Sebastião Baeta Henriques, em São Paulo; a convivência com os artistas concretistas leva à elaboração de uma nova linguagem em sua arquitetura.

1957 É um dos redatores, pelo IAB, da proposta de nova legislação para a profissão de arquiteto. Participa, também pelo IAB, da criação do Fundo Estadual de Construções Escolares (Fece) de São Paulo, parte do Plano de Ação do governo Carvalho Pinto. Participa do Congresso Internacional de Críticos de Arte, realizado em Brasília, no Rio de Janeiro e em São Paulo.

Compartilhe

1958

Artigas em 1958 | Imagem: Acervo da Família Artigas

Compartilhe

1960

Artigas em 1960 | Imagem: Acervo da Família Artigas

Compartilhe

Linha do Tempo (6)

1961 Inicia os estudos para o projeto do edifício da FAU/USP na Cidade Universitária

1962 É designado para elaborar a proposta de reforma do ensino na FAU/USP. Participa, como representante do Brasil, da Comissão para Educação do Arquiteto no Congresso da UIA, em Praga.

1964 Após o golpe militar, é detido por ordem do comandante do Inquérito Policial Militar (IPM) da USP, juntamente com outros professores, como Mario Schenberg e Florestan Fernandes. Alvo de outro processo, referente à sua militância no PCB, exila-se em Montevidéu, Uruguai.

1965 Volta ao Brasil, onde vive em clandestinidade na casa de amigos até a obtenção do direito de responder ao processo em liberdade.

1968 É realizado na FAU/USP um fórum de avaliação da reforma de 1962. O encontro gera propostas de modificação da estrutura de ensino e leva a uma ruptura entre os grupos liderados por Artigas e Sérgio Ferro.

Compartilhe

1969

Artigas em 1969 | Imagem: Acervo da Família Artigas

Compartilhe

Linha do Tempo (7)

1969 O edifício da FAU/USP é inaugurado com a realização do vestibular. Artigas e outros professores de universidades brasileiras são aposentados compulsoriamente por força do Ato Institucional Nº 5 (AI-5)

1970 Participa da Reunião de Especialistas sobre a Formação do Arquiteto, promovida pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco), em Zurique.

1972 Recebe o Prêmio Jean Tschumi outorgado pela UIA aos profissionais dedicados ao ensino de arquitetura e urbanismo – em Varna, Bulgária.

1974 Nasce seu primeiro neto, Pedro, filho de Julio.

1975 Nasce sua neta Manuela, filha de Julio.

1978 Monta um ateliê na Casinha, onde fabrica brinquedos e desenha com os netos.

Compartilhe

Uma Biografia de Artigas: Afastamento e Retorno à FAU

O site da Ocupação possui uma playlist interativa. Quer saber como usá-la?
Você pode ouvir uma música clicando no botão play (localizado à esquerda do nome de cada música). Pode continuar ouvindo as músicas enquanto navega em outros conteúdos, clicando no botão + (localizado ao lado do botão play) e adicionar as faixas à sua playlist. E pode também interagir com a playlist, clicando no botão com ícone de áudio que aparecerá no canto inferior direito da tela.

Entrevista com a historiadora Rosa Artigas, filha de Artigas. Parte 5 de 5.

Rosa Camargo Artigas, filha de Vilanova Artigas, é historiadora formada pela Universidade de São Paulo (USP). Organizou os livros Paulo Mendes da Rocha v. 1 (2000), Arquiteto João Walter Toscano (2002), Caminhos da Arquitetura (2004), Paulo Mendes da Rocha v. 2 (2007) e Caminhos do Elevado – Memória e Projetos (2009). Foi curadora de várias exposições nacionais e internacionais. Publicou artigos em livros, revistas e catálogos nacionais e estrangeiros.

Compartilhe

1970

Artigas em 1970 | Imagem: Acervo da Família Artigas

Compartilhe

1976

Artigas em 1976 | Imagem: Acervo da Família Artigas

Compartilhe

Linha do Tempo (8)

1979 Após a aprovação da Lei da Anistia, alunos e professores da FAU/USP realizam a mostra Caderno dos Riscos do Edifício da FAU, que tem o objetivo de convencer a direção da faculdade a reintegrar os professores compulsoriamente aposentados em 1969.

1980 Volta a lecionar na FAU/USP, mas na condição de auxiliar de ensino – cargo inicial da carreira universitária. Nasce sua terceira neta, Laura, filha de Rosa.

1983 Nascem seus netos Marco, filho de Rosa, e Gabriel, filho de Julio.

1984 Presta um concurso para recuperar o cargo de professor titular da FAU/USP. O tema sorteado para a sua arguição é A Função Social do Arquiteto.

1985 Morre em São Paulo, no dia 12 de janeiro. Postumamente, recebe o Prêmio Auguste Perret – outorgado pela UIA aos profissionais que se destacam nas pesquisas sobre a tecnologia aplicada à arquitetura.

Compartilhe

1980

Artigas em 1980 | Imagem: Acervo da Família Artigas